Crítica Dicas

Eu, Fernando Pessoa, de Suzana Ventura e Eloar Guazzelli

08:00Isabela Lapa

Fernando Pessoa, um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal, ficou conhecido pelas suas múltiplas personalidades e os seus diversos heterônimos, que são objetos de estudo até os dias de hoje. 

Entre tantos nomes e tantas personalidades, três se destacaram: Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis. Além deles, o escritor se utilizou de um semi-heterônomo, Bernardo Soares, para escrever o "Livro do Desassossego", um dos seus trabalhos mais importantes.

Mesmo tendo vivido apenas 47 anos (1888-1935), o trabalho de Fernando Pessoa conquistou fãs ao redor do mundo e até hoje motiva muitos pesquisadores e estudiosos da literatura. Essa motivação incrível uniu Suzana Ventura e Eloar Guazzeli, e o resultado foi a espetacular revista em quadrinhos "Eu, Fernando Pessoa", publicada pela Editora Peirópolis, no mês de junho deste ano.
A revista parte de uma carta que Fernando Pessoa escreveu ao amigo Adolfo Casais Monteiro, no ano de 1935, para explicar o sentido dos seus heterônimos e do seu semi-heterônimo. Além do conteúdo dela, foram utilizados alguns poemas e trechos da obra do escritor. 

Entender as razões do poeta para a adoção de cada um dos nomes contribui para a percepção da sua genialidade e sensibilidade. Ri e me emocionei logo no início da explicação, vejam:


"Passo agora a responder à sua pergunta sobre a gênese dos meus heterônimos. Vou ver se consigo responder-lhe completamente. Desde criança, tive a tendência para criar em meu torno um mundo fictício, de me cercar de amigos e conhecidos que nunca existiram. (Não sei, bem entendido, se realmente não existiram, ou se sou eu que não existo. Nestas cousas, como em todas, não devemos ser dogmáticos.)"

A partir dessa premissa, ele construiu de forma rápida e ao mesmo tempo detalhada as suas razões, emoções e porquês. Falou dos primeiros heterônimos, destacou os três principais mencionados e também o semi-heterônimo. Sobre o último, destacou: 

"É um semi-heterónimo porque, não sendo a personalidade a minha, é, não diferente da minha, mas uma simples mutilação dela. Sou eu menos o raciocínio e a afectividade."


Não tem como ler essa revista e não se apaixonar! Um trabalho primoroso, cuidadoso e inesquecível. Tantas emoções rodearam a leitura que até o texto do Guazzelli sobre a forma como tudo aconteceu me fez chorar.


Destaques:

- Suzana Ventura é Doutora de Estudos Comparados de Literatura da Língua Portuguesa, professora e pesquisador.

- Eloar Guazzeli é ilustrador e desde 1990 trabalha como quadrinista, atividade que lhe rendeu inúmeros prêmios importantes, entre eles o troféu HQ MIX, na categoria desenhista revelação. Apaixonado pelo trabalho de Fernando Pessoa, Eloar já havia publicado, no ano de 2012, pela Editora Saraiva, o livro "Fernando Pessoa e outras pessoas", que foi o primeiro volume da coleção "HQ Saraiva".

- O resultado do trabalho "Eu, Fernando Pessoa", foi tão satisfatório que Eloar criou um curta de animação sobre o escritor e que é utilizado como base para o livro:



- A revista pode ser vista neste link, disponibilizado no site da Editora. Mesmo com essa possibilidade, garanto que compensa ter o exemplar. Trata-se de um trabalho primoroso, a edição é linda, impressa em um papel diferente e com as cores vivas e impactantes.



You Might Also Like

0 comentários

Acompanhe nosso Twitter

Formulário de contato