A Mocinha do Mercado Central Eventos

O dia em que eu conheci Stella Maris Rezende

00:00Universo dos Leitores

Nos dias 23, 24 e 25 de abril, a cidade de Santa Luzia realizou o seu primeiro festival literário. O evento, que foi destinado aos alunos das escolas da rede municipal e teve como objetivo incentivar a leitura na infância, contou com a participação de diversos escritores e ilustradores, entre eles, Bárbara Soalheiro, José Santos, Júlio Emílio Bráz, Marilda Castanha, Nelson Cruz, Otávio Júnior e Stella Mariz Rezende

Infelizmente, em razão do trabalho, tive que escolher apenas um dia para comparecer e claro, como eu adoro a escritora Stella Maris Rezende, optei por participar do bate papo com ela, que aconteceu no dia 24.
Todos atentos ao que Stella dizia
Com mais de 40 livros publicados, Stella veio para falar apenas de um: "A Menina do Mercado Central" (tem resenha aqui), que recebeu o Prêmio Jabuti como "melhor livro de ficção" e "melhor livro juvenil" no ano de 2012 e foi lido pelas crianças das escolas participantes, que realizaram diversos trabalhos sobre ele. 

Simpática e sorridente, ela iniciou a palestra dizendo que seu nome significa "estrela do mar". Após ler uma passagem da obra, ela contou sobre o seu prazer em escrever e imaginar, explicou as razões pelas quais A Menina do Mercado Central é um livro mágico e respondeu a diversas perguntas. 

"As palavras são mágicas, elas nos encantam, nos transportam."

"Todo livro é um objeto mágico."

Entre as diversas coisas ditas por ela, duas chamaram a minha atenção de forma especial. Stella disse que quando escreve um livro não se preocupa com a "moral da história", para ela o que importa mesmo é deixar portas abertas para que cada um interprete conforme a sua imaginação e a sua experiência. Depois, quando perguntaram sobre a razão do livro não ter tido um "romance feliz", ela disse que o objetivo da obra literária é retratar a vida real e que na realidade nem sempre os finais são felizes, mas temos que aprender a viver com eles.
Stella e os alunos

A verdade é que o bate papo todo foi incrível. Os alunos participaram muito e estavam totalmente interagidos com a leitura e com a imaginação. Foi uma delícia ter participado... 

Ah, o melhor? Em breve teremos novos livros da Stella nas livrarias! O lançamento dos novos títulos será no final de maio e muitas aventuras boas virão por aí... Aguardem!
Fila para autógrafos e fotos!

Após o bate papo, almocei com Stella e tive o prazer de conhecer os escritores Júlio Emílio Braz e Otávio Júnior, ambos extremamente simpáticos. 

O Júlio tem mais de 160 livros publicados, todos voltados para o público infantil. Ele escreve desde criança e também trabalha com ilustrações e revistas em quadrinhos. Quem quiser conhecer pode acessar o site dele. Fiz isso assim que cheguei em casa e já anotei vários títulos na minha lista de leituras. 
Júlio Emílio, Stella Maris e Otávio Júnior
O Otávio é o criador do projeto "Ler é 10 - Leia Favela", que incentiva a leitura na favela do Morro do Caracol, no Complexo da Penha, que é o local onde ele vive. Amante dos livros desde criança, ele publicou seu primeiro trabalho, "O Livreiro do Alemão", que fala sobre a sua trajetória e sobre todas as dificuldades que enfrentou ao longo da vida. Interessante, não é? Infelizmente não encontrei um site sobre ele, mas vi uma matéria super interessante na Veja. Se quiserem conferir, cliquem aqui.

Vejam algumas fotos do nosso encontro: 
Stella e eu tentando uma boa foto!
Stella, eu e nossos queridos livros
Otávio, Pollyana e Patrícia (organizadoras do FLIT), Stella, Eu e Júlio

Júlio, Stella, eu e Otávio


Resultado: foi um dia maravilhoso! 

Espero que tenham gostado do post e que aproveitem para conhecer os escritores e o trabalho deles...




You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por participar do nosso Universo! Seja sempre muito bem vindo...

Acompanhe nosso Twitter

Formulário de contato