As intermitências da morte Caim

3 livros para conhecer José Saramago

00:00Universo dos Leitores

Conhecer um novo autor é sempre um desafio. Ainda mais quando se trata de um autor renomado, elogiado pela crítica e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura. É comum abrir o livro com muitas expectativas e muita ansiedade, mas também é comum ter uma grande e inesquecível decepção. 

Um dia desses, uma colega comentou que tem um trauma. Ela detesta José Saramago, mal consegue escutar o nome. Perguntei as razões e ela explicou (mais ou menos) da seguinte forma: "Tive que ler o livro Levantado do Chão com 14 ou 15 anos. Não entendi nada. Traumatizei. Que coisa mais chata!"

O que aconteceu com ela é mais comum do que a gente pensa. Eu sempre digo que os livros devem respeitar as nossas fases e os nossos momentos. Não adianta ler Fiódor Dostoiévski com 14 anos de idade, da mesma forma que a leitura de um Young-Adult pode não ser tão interessante para pessoas com 45 ou 50 anos. Concordam?

Mas algumas vezes, além da idade ou da fase da vida, a escolha do título também interfere (e muito) nessa relação de amor e ódio. No caso específico do José Saramago, é indiscutível o fato de que ele é um autor perspicaz, crítico, às vezes irônico e que tem um estilo de escrita muito particular: ele não gosta de parágrafos e nem de pontos finais. Divide os diálogos por vírgula e escreve frases longas, o que causa um estranhamento inicial. Acontece que ele é tão bom no que faz, mas tão bom, que após algumas páginas conseguimos nos sentir íntimos desse estilo e até passamos a nos divertir com ele. Juro, é verdade!
Porém, muita gente quando decide conhecer os seus livros, começa logo pelos títulos mais famosos e mais comentados. Partem para Ensaio Sobre a Cegueira ou, ainda, para o famosíssimo O Evangelho Segundo Jesus Cristo. E sim, isso pode ser um erro. Eu, particularmente, sempre tento conhecer um escritor novo pelos seus livros menores. Penso que é importante se adaptar ao estilo narrativo antes de partir para os títulos considerados "essenciais". Fiz isso com José Saramago, fiz isso com Gabriel García Márquez, fiz isso com Wirginia Woolf e digo: deu certo comigo.

Com isso, pensando na minha colega e em tantas pessoas que às vezes tem receio de ler algo do Saramago, resolvi indicar 3 livros que considero ótimas opções para quem tem vontade de conhecer o estilo do autor. As indicações são exatamente os 3 livros que me permitiram conhecer (e me apaixonar) por ele. Como são mais finos, com histórias mais simples, acredito que permitem uma adaptação rápida e uma aproximação gostosa com a história.

Vamos lá:

Esse é um conto rápido, com poucas páginas e linguagem direta, que permite interessantes reflexões sobre "quem somos", "o que queremos ser" e, especialmente "o que fazer para nos descobrirmos melhor". Esse livro me marcou muito e já perdi a conta de quantas vezes li e reli.

Divertido, crítico e com um final surpreendente, esse livro começa em um dia diferente: um dia em que ninguém morre. A partir desse acontecimento, a história se desenvolve e conduz o leitor a um emaranhado de situações: problemas políticos, econômicos e sociais, reflexões sobre a máfia e a função das instituições do poder, relações afetivas, aceitação da morte, direito de viver e/ou morrer etc etc etc.  

3) Caim
Simplesmente genial. O livro começa contando um pouco sobre Adão e Eva e o pecado que fez com que eles fossem expulsos do paraíso. Após essa primeira parte, já entramos na história de Caim e nos infortúnios que ele passou após ter assassinado o irmão. Com um tom irônico, divertido e crítico, o escritor desconstrói a história da Bíblia e aborda temas como vingança, perdão, escolhas etc. Excelente, excelente! 

Espero que tenham gostado das dicas e aproveitem um pouco delas... Lembrem de passar por aqui para comentar o que acharam dos livros. 






You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por participar do nosso Universo! Seja sempre muito bem vindo...

Acompanhe nosso Twitter

Formulário de contato