Clare Vanderpool Crítica

Em algum lugar nas estrelas, de Clare Vanderpool

00:00Universo dos Leitores

“Às vezes, é melhor não ver todo o caminho que se estende diante de você. Deixe a vida surpreendê-lo, Jackie. Há mais estrelas por aí do que as que já têm nome. E todas são lindas."

Acredito em duas grandes questões sobre a vida: ela pode mudar a qualquer momento e todos os dias temos algo a aprender. E foi exatamente por pensar assim que eu me emocionei tanto com essa história, que de forma singela e humana conseguiu me provar que as minhas crenças estão certas e que um terceiro ponto também é incontestável: as pessoas que passam pelo nosso caminho são fundamentais para a nossa evolução, por isso, é preciso olhar atentamente para cada uma delas. 

Jackie era um garoto de 11 anos que vivia com a mãe e não conhecia muito bem o pai, que lutava na Segunda Guerra Mundial. Contudo, quando a guerra terminou e ele estava comemorando que enfim teria uma família completa, a sua mãe faleceu de forma inesperada. O pai, por sua vez, não demonstrou interesse em ficar com o filho e enviou o garoto para estudar em um internato militar do outro lado do oceano. 

Ao chegar naquele lugar sombrio e desconhecido, Jackie teve dificuldades de fazer amigos, mas acabou encontrando Early, que era repleto de manias e tinha um jeito diferente de todos os outros: ele acreditava que o número PI era real, ouvia músicas específicas em dias específicos, tinha uma rotina muito organizada e acreditava que a lealdade era a base principal de qualquer relação.

Os dois começaram a conviver, mas no início Jackie se sentia receoso em relação a Early por achar o seu comportamento muito estranho. Contudo, nas férias de verão, quando todos os alunos da escola voltaram para casa menos os dois, eles tiveram a oportunidade se conhecer melhor e Early acabou contando alguns mistérios da sua vida, o que fez com que juntos eles embarcassem em uma grande aventura pelo oceano.

“Nossas vidas são todas entrelaçadas. É só uma questão de ligar os pontos”.

Ao longo do caminho, Early foi narrando para Jackie a história por trás do número PI e apesar de inicialmente esses capítulos serem desconectados da história, ao longo da narrativa os pontos se encaixaram perfeitamente, o que causou grandes emoções e tornou a obra surpreendente e reveladora... 



Se não bastasse esse grande mistério, a narrativa também nos colocou diante de diversas metáforas envolvendo piratas e alguns personagens super cativantes e interessantes. Foi simplesmente delicioso mergulhar no universo desses dois jovens cativantes e intensos, que precisaram amadurecer bruscamente muito cedo, e que souberam construir uma amizade sólida e eterna, que mudou completamente a vida deles. Ao mesmo tempo em que me diverti, eu me emocionei MUITO! 
"Não são só números. E não estou inventando uma história. A história está nos números. Olhe para eles! Os números têm cores… azul do oceano e do céu, grama verde, um sol amarelo e brilhante. Os números têm textura e paisagem, montanhas, ondas, areia e tempestades. E palavras… sobre Pi e sua jornada. Os números contam uma história."
Essa é uma história maravilhosa sobre os laços de família, de amor e de amizade. Uma história que mostra que carinho e respeito são sentimentos que não surgem apenas entre os iguais: eles podem surgir nas diferenças e se estabelecer por meio delas. 
Digo isso, porque como vocês perceberão ao longo da leitura e também pelo texto que a escritora colocou ao final, Early era autista, razão pela qual ele via o mundo com outros olhos e tinha um universo particular. Contudo, foi exatamente por essas características que ele se diferenciou dos demais e conquistou a amizade e o respeito de Jackie. 

Vale destacar que a narrativa mistura a realidade e a ficção de forma muito gostosa e fica impossível não mergulhar de cabeça no oceano dos jovens e em cada uma das páginas dessa obra que possui palavras super bem escolhidas e uma edição simplesmente impecável da Darkside Books (talvez a mais bonita de todas)... 

Preparem-se para grandes sensações e leiam a obra na companhia das músicas que o Early mais gosta... Ele conta quais são logo no início do livro, mas se você esquecer pode encontrar todas elas no post incrível feito pela Raquel do blog Pipoca Musical...

Aproveitem a dica, porque esse é um livro único! Sem dúvida um dos melhores que li esse ano! :)
*Este livro foi recebido em razão da parceria com a Darkside Books. 
Para saber mais sobre a Editora acesse o site ou participe das redes sociais:Facebook,InstagramTwitterG+ ou YouTube.

*Gostou do livro? Encontre-o aqui: Amazon


*Postado por Isabela Lapa





You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por participar do nosso Universo! Seja sempre muito bem vindo...

Acompanhe nosso Twitter

Formulário de contato