Jane Austen Matérias Literárias

O que eu aprendi com Orgulho e Preconceito

00:00Universo dos Leitores

Oi gente, tudo bem?

Esse ano eu saí de um grande "atraso literário". Sim, eu li Orgulho e Preconceito! Eu sempre gostei do filme e sempre tive vontade de ler o texto original da Jane Austen, mas como não sou tão apegada a romances, acabava enrolando a leitura. Ainda bem que decidi dar uma chance ao livro esse ano, porque eu simplesmente AMEI! Sem contar que aprendi algumas coisinhas que gostaria de dividir com vocês: 

- Não existem verdades absolutas.


“É verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro em posse de boa fortuna deve estar necessitado de esposa.”


Essa é uma das frases de impacto do livro, mas basta ler um pouco da história para saber que não é bem assim! O Sr. Darcy, por exemplo, não estava necessitando de uma esposa.  Ele nunca quis. E era feliz assim...

- As pessoas sabem mentir.

O Sr.Wickham apareceu e contou muitas histórias para a Elizabeth, que criou uma péssima imagem do Sr. Darcy e acabou se afastando dele. Acontece que mesmo demonstrando as melhores intenções, nada do que ele disse era verdade. Isso infelizmente ocorre com mais frequência que a gente imagina. 

- Algumas vezes, você será mais feliz se der uma segunda chance.

Imaginem vocês se a Elizabeth não tivesse se libertado de todo o orgulho e de todas as más impressões que tinha do Sr. Darcy? Provavelmente ela não teria descoberto o amor e não teria sido tão feliz... 

- Inteligência e bons argumentos valem mais que aparência. 

Elizabeth nunca foi a mais bela da família. A sua mãe sempre disse isso e o seu pai, mesmo de forma discreta, nunca discordou. Mas mesmo assim ela conquistou o coração de um homem rico, bonito e desejado. Como? Com a sua inteligência, seu amor próprio, seus valores e seus argumentos firmes. 
- Ninguém é perfeito.

O personagem de Darcy, que inicialmente é frio e arrogante, se transforma completamente. Mesmo com a personalidade forte e as opiniões muito bem definidas, ele é um homem romântico, sensível, preocupado com a família e que tem um coração enorme. A verdade é que Príncipe Encantado só existe em contos de fadas, na vida real as pessoas possuem qualidades e defeitos, acertam e erram e é nisso que está graça dos relacionamentos.

- A forma como a pessoa trata a família diz muito sobre quem ela realmente é.

Tem como não se apaixonar com o carinho do Sr. Darcy com a irmã? Isso mostrou muito mais quem ele realmente era que o seu comportamento frio e distante para com as outras pessoas.

- Uma pessoa não é a sua família. 

Com a Elizabeth foi bem diferente! Enquanto a sua mãe e as suas irmãs viviam desesperadas em busca de um casamento perfeito e só pensavam em dinheiro e em status, os seus valores eram completamente diferentes. Mesmo tendo crescido no mesmo lar, Elizabeth desenvolveu uma personalidade livre e independente, era firme, determinada e agia apenas conforme o seu bom senso e os seus sentimentos.

- Viajar renova a alma.

A Elizabeth adorava passear e viajar. E sempre que ela fazia isso conseguia refletir sobre a sua vida, a vida da sua família e os seus sentimentos mais complexos. E mesmo com tantas reflexões importantes ela ainda conseguia se encantar com a beleza de novos lugares. Sensacional, sem dúvida!

- O sentimento surge quando a gente menos espera. 

Não tem data, não tem hora marcada, não adianta as pessoas insistirem. Ele simplesmente acontece... E quando tem que ser, nada faz com que não seja!

Espero que tenham gostado do post e que também tenham tirado lições importantes dessa história que é simplesmente LINDA!

Beijos e até a próxima!!!

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por participar do nosso Universo! Seja sempre muito bem vindo...

Acompanhe nosso Twitter

Formulário de contato